Entidades cobram melhores condições de trabalho para os agentes de segurança; 15 policias foram mortos em 2018 - 13/06/2018

Associações lembram mortes de PMs e fazem protesto nesta quinta

 Associações e sindicatos ligados aos servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte convocaram uma manifestação para esta quinta-feira (14), às 9h, em Natal. A concentração será no entorno do Midway Mall, na zona Sul.

O ato cobra melhores condições de trabalho para os policiais. Em nota, as associações e sindicatos apelam para que “todos os homens e mulheres que compõem o sistema de segurança pública” participem do protesto. Os manifestantes devem caminhar até o Centro Administrativo, que fica na marginal da BR-101, em Candelária.

Pelo menos 10 entidades assinam o comunicado de apoio à paralisação. Entre elas, o Sindicato dos Servidores do Departamento de Polícia Federal do RN (SINPEF-RN), a Associação dos Bombeiros Militares do RN (ABM-RN) e a Associação dos Cabos e Soldados da PM do RN (ACS-PMRN).

Mortes

A escalada da violência contra policiais no Rio Grande do Norte é o principal motivado do ato marcado para esta quinta-feira. Apenas em 2018, 15 policiais militares foram executados por criminosos no estado. As vítimas estavam fora de serviço quando foram mortas. Na nota distribuída à imprensa, associações e sindicatos cobram medidas enérgicas por parte do Governo do Estado para evitar novos crimes. “A principal reivindicação é pleitear soluções efetivas para o enfrentamento da criminalidade no RN, de modo a prevenir mortes, sobretudo a de operadores de segurança pública e de todos os demais trabalhadores potiguares”, afirmam.

O documento ainda trás o nome dos policiais assassinados. São eles:

1 – Cabo Carlos Alberto Araújo da Costa, de 48 anos. Foi morto a tiros no dia 7 de janeiro no bairro das Rocas, na Zona Leste de Natal. Ele era lotado na Companhia Independente de Policiamento de Turismo (CIPTUR).
2 – Sargento André Mário Dantas Siqueira, de 40 anos. Foi morto a tiros no dia 15 de janeiro em uma festa no bairro Golandim, em São Gonçalo do Amarante. O policial trabalhava na Companhia Independente de Policiamento de Guardas.
3 – Sargento José Ailton de Lira, de 51 anos. Foi morto a tiros no dia 26 de janeiro na comunidade de Jacaré Mirim, em São Gonçalo do Amarante. Ele trabalhava no patrulhamento da cidade de Ceará-Mirim.
4 – Sargento da reserva Itagibá Maciel de Medeiros, de 54 anos. Foi morto a tiros na manhã do dia 29 de janeiro no município de Extremoz, na Grande Natal.
5 – Cabo Darlan Santana Carvalho, de 40 anos. Morreu na tarde do dia 29 de janeiro após ser baleado na cabeça, pela manhã, em uma tentativa de assalto a uma farmácia no bairro Planalto, na Zona Oeste de Natal.
6 – Cabo William Soares, de 40 anos. Foi morto no dia 28 de fevereiro no bairro Pajuçara, na Zona Norte de Natal. Ele assistia a um jogo de futebol na casa de um amigo quando trocou tiros com criminosos.
7 – Sargento da reserva Luiz Valdécio Faustino, de 57 anos. Foi morto no dia 23 de março em Mossoró. Ele transitava de moto, ao lado do aeroporto da cidade, quando foi perseguido e assassinado.
8 – Soldado Caroline Pletsch, de 32, era da PM de Santa Catarina. Ela e o marido, que também é PM, foram alvos de um assalto a uma pizzaria na Zona Norte de Natal e baleados. O crime aconteceu no dia 26 de março. Ela ainda foi socorrida, mas não resistiu. O marido sobreviveu.
9 – Cabo Dioclécio Ferreira da Lima Júnior, de 40 anos. Foi morto durante um assalto na saída de um banco na Zona Sul de Natal, crime ocorrido no dia 4 de abril. Um dos bandidos levou um malote de dinheiro que estava com ele. O cabo ainda foi socorrido, mas não resistiu.
10 – Sargento da reserva Helton Cabral da Silva, de 42 anos. Foi morto a tiros no dia 8 de abril em São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana de Natal. O dono da cigarreira onde ele estava também morreu.
11 – Sargento José Edivaldo do Nascimento, de 46 anos. Foi morto no dia 21 de abril. Baleado durante uma tentativa de assalto no bairro Alecrim, na Zona Leste de Natal, ele ainda foi socorrido, mas não resistiu e morreu no hospital.
12 – Subtenente da reserva Raimundo Ribeiro da Silva, de 65 anos. Foi executado a tiros no dia 4 de maio. O crime aconteceu dentro de uma granja na zona rural de São Gonçalo do Amarante.
13 – Cabo Waldembergue Cruz de Lima, de 45 anos. Foi morto a tiros na noite do dia 8 de maio ao sair de um salão onde havia acabado de cortar o cabelo. O crime aconteceu no conjunto Nova Natal, na Zona Norte de Natal.
14 – Soldado Kelves Freitas de Brito. Foi executado na manhã do dia 2 de junho. O crime aconteceu no bairro Cohabinal, em Parnamirim, na Grande Natal.
15 – Cabo Melqui Djalcy Rodrigues, de 41 anos de idade. Foi morto no dia 8 de junho com tiros na cabeça, em uma loja de materiais de construção no bairro Cidade Nova, Zona Norte da capital. Fonte Portal Noar.

Faça Seu Comentário:

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Comentários

disse:

em 31/12/1969 - 09:12