Seguranças da Governadoria usaram spray de pimenta para evitar ocupação do prédio, nesta segunda (13). Categorias cobram pagamento de salários em dia. - 13/11/2017

Em greve, servidores da Saúde e professores da UERN fazem manifestação em Natal

G1 RN

Grevistas fecham acesso à rampa da Governadoria, em Natal, durante manifestação nesta segunda-feira (13) (Foto: Divulgação/SindisaúdeRN)

Grevistas fecham acesso à rampa da Governadoria, em Natal, durante manifestação nesta segunda-feira (13) (Foto: Divulgação/SindisaúdeRN)

Servidores da Saúde e professores da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte realizaram uma manifestação na manhã desta sexta-feira (13), em Natal, em protesto contra atraso no pagamento dos salários. O movimento fechou a Governadoria - sede do Poder Executivo Estadual e houve acirramento de ânimos durante uma tentativa de ocupação do prédio. Os policiais militares que fazem a segurança do local chegaram a usar spray de pimenta para dispersar os manifestantes e evitar a entrada deles.

As duas categorias estão em greve. De acordo com o Sindsaúde, 13 mil servidores, além dos médicos que atuam nas unidades estaduais de saúde, entraram em greve nesta segunda-feira (13). No entanto a paralisação não atinge os serviços de urgência e emergência nos hospitais potiguares, de acordo com o sindicato. Devem ficar suspensas, por exemplo, marcações de exames ambulatoriais e consultas que não se encaixam em urgência e emergência.

Já as aulas da UERN estão suspensas desde a última sexta-feira (10), quando foi deflagrada a greve dos professores. De acordo com a Associação dos Docentes da universidade, os cerca de 1,2 mil professores do ensino superior suspenderam atividades por tempo ideterminado nos campus da instituição em todo o estado.

Procurado pelo G1, o governo do estado afirmou que "em função do acirramento dos ânimos dos servidores, não há previsão para uma reunião entre o governo e manifestantes"

Entrada lateral da Governadoria do RN também foi fechada por manifestantes, que tentaram ocupar o prédio neste segunda-feira (13), em Natal (Foto: Divulgação/Aduern)

Faça Seu Comentário:

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Comentários

disse:

em 31/12/1969 - 09:12