Pediu Exoneração do Cargo de Ministro das Cidades - 13/11/2017

Bruno Araújo pede demissão do cargo de ministro das Cidades

O ministro das Cidades Bruno Araújo pediu, nesta segunda-feira, 13, demissão do cargo, pouco antes de participar de cerimônia simbólica de entrega de cartão reforma no Planalto. Em carta enviada ao presidente Michel Temer pedindo sua exoneração, Bruno Araújo diz que "não há mais apoio" para que ele siga no comando da pasta e fala indiretamente da crise vivida no PSDB. "Agradeço a confiança do meu partido, no qual exerci toda a minha vida pública, e já não há mais nele apoio no tamanho que permita seguir nessa tarefa", escreveu.


Araújo era um dos quatro ministros tucanos no governo. Desde a votação da segunda denúncia, partidos do Centrão vinham pressionando Temer por uma reforma ministerial que lhes desse mais espaço no governo e excluísse os tucanos do alto escalão, em troca de aprovar projetos de interesse do governo como a reforma da Previdência. Pelo seu gordo orçamento, o Ministério das Cidades era um dos principais objetivos da base aliada.

Desde a posse, 11 ministros já deixaram as pastas: Em meio a uma crise no PSDB e pressão dos partidos do Centrão para a saída dos tucanos do alto escalão do governo, o ministro das Cidades Bruno Araújo (PSDB-PE) pediu sua exoneração do cargo nesta segunda-feira, 13. Desde a posse de Temer, no dia 12 de maio de 2016, houve mais de 10 trocas nas pastas. Relembre os ministros de Temer que já saíram dos cargos - demitidos, pedindo demissão ou afastados para ocupar outros postos, como Alexandre de Moraes.

André Dusek/Estadão

Em meio a uma crise no PSDB e pressão dos partidos do Centrão para a saída dos tucanos do alto escalão do governo, o ministro das Cidades Bruno Araújo (PSDB-PE) pediu sua exoneração do cargo nesta segunda-feira, 13. Desde a posse de Temer, no dia 12 de maio de 2016, houve mais de 10 trocas nas pastas. Relembre os ministros de Temer que já saíram dos cargos - demitidos, pedindo demissão ou afastados para ocupar outros postos, como Alexandre de Moraes.

"Tenho a convicção, Sr. Presidente, que a serenidade da história vai reconhecer no seu Governo resultados profundamente positivos para a sociedade brasileira. Receba minha exoneração e meus agradecimentos", completa o deputado pernambucano que estava licenciado.

Leia a carta de exoneração enviada por Bruno Araújo ao presidente Michel Temer

Leia a carta de exoneração enviada por Bruno Araújo ao presidente Michel Temer

Faça Seu Comentário:

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Comentários

disse:

em 31/12/1969 - 09:12