Eleições 2018 - 17/09/2018

TSE define urna eletrônica e confirma 13 candidatos à Presidência

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) fechou hoje (17) o sistema de registro de candidaturas à presidência da República que será inserido nas urnas eletrônicas para a votação no primeiro turno das eleições, que será realizado no dia 7 de outubro. Com a medida, ficam confirmados os nomes de 13 candidatos à presidência da República e seus respectivos vices que tiveram os registros aceitos pelo tribunal.

Os nome do candidato Fernando Haddad (PT) e sua vice, Manuela D’Ávila (PCdoB), foram considerados aptos para inserção nas urnas, apesar de o registro de candidatura ainda não ter sido julgado pela Corte. Haddad teve o nome confirmado pelo PT após o TSE barrar a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O prazo para que algum candidato, partido ou o Ministério Público Eleitoral (MPE) faça a impugnação do registro do petista termina amanhã (18), no entanto, até o momento, nenhuma contestação foi apresentada ao tribunal.

De acordo com o TSE, os dados dos presidenciáveis são enviados aos 27 Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), que serão responsáveis pelo carregamento das urnas com os dados de todos que vão participar do pleito. Os tribunais locais também vão inserir as informações dos candidatos aos governos estaduais, deputados estaduais, federais e senadores. Fonte Agencia Brasil.

Comente

Representação formulada pela coligação questiona pontos recusados pelo juiz como baixo valor para contratação do levantamento e ausência de dados obrigat - 17/09/2018

Carlos Eduardo questiona na Justiça pesquisa que mostrou empate com Robinson

 Com a divulgação da pesquisa na sexta-feira, a coligação de Carlos Eduardo (PDT) desistiu do processo

A coligação 100% RN, encabeçada pelo candidato a governador Carlos Eduardo Alves (PDT), tentou evitar – sem sucesso – que a última pesquisa do Instituto Seta fosse divulgada. O pedido foi negado pelo juiz Almiro Lemos na quinta-feira, 13, véspera da publicação dos resultados pelo Blog do BG.

A representação formulada pela coligação questionou três pontos da pesquisa: baixo valor para contratação do levantamento; ausência de dados obrigatórios no registro; e a utilização de dados populacionais obsoletos para composição da amostra de entrevistados.

A pesquisa Seta foi mais barata que a média das demais pesquisas registradas no Rio Grande do Norte até o momento. Enquanto o levantamento da Seta foi contratado pelo Blog do BG por R$ 10 mil, a Certus fez o último levantamento divulgado pela Federação das Indústrias por R$ 32 mil. O Ibope, que deverá divulgar novo levantamento na sexta-feira, 21, foi contratado pela InterTV Cabugi por mais de R$ 65 mil.

Ao analisar esse fato, no entanto, o juiz Almiro Lemos entendeu que o valor cobrado pela Seta não foi desproporcional ao serviço e que não há tabelamento de valores a serem cobrados pelos institutos. “Não há parâmetro possível de comparação entre um instituto de pesquisas local com o maior instituto de pesquisas do País”, escreveu o magistrado.

Quanto à não apresentação de dados obrigatórios, o juiz decidiu que a indicação de bairros e municípios visitados pelos entrevistadores não precisa ser apresentado no ato de registro do levantamento, e sim até o sétimo dia seguinte ao registro da pesquisa. Esse prazo se esgotou no último final de semana.

Em relação ao terceiro argumento, o juiz Almiro Lemos afirmou que “não há qualquer fundamento para o uso de dados do TSE em detrimento de dados do IBGE, uma vez que não é objetivo do órgão eleitoral a apuração de dados de recenseamento”. “Não há que se falar em falta de atualização em virtude de uso dos dados do censo de 2010, uma vez que é este o mais atual existente”, assinalou Almiro Lemos.

Com a recusa da liminar, o levantamento foi publicado na última sexta-feira, 14. Na pesquisa estimulada para o Governo do Estado, Carlos Eduardo aparece com 16% das intenções de voto, atrás de Fátima Bezerra (PT), que tem 32%. O terceiro colocado foi Robinson Faria (PSD), com 12%. Considerando que a margem de erro foi de 3%, Carlos Eduardo e Robinson estão empatados tecnicamente. Brenno Queiroga (Solidariedade) e Heró Bezerra (PRTB) somaram 1% cada. 32% dos entrevistados declararam que pretendem votar em branco ou nulo e outros 6% não souberam ou não quiseram responder ao levantamento.

Com a divulgação da pesquisa na sexta-feira, a coligação desistiu do processo.

O levantamento do Instituto Seta contratado pelo Blog do BG está no centro de outra polêmica levantada pelo Agora RN na semana passada. O jornal mostrou que a mulher do cientista político Daniel Menezes, diretor-geral do instituto de pesquisas, Ingrid Paiva, ocupa um cargo comissionado na Prefeitura de São Gonçalo do Amarante, principal reduto eleitoral da candidata ao Senado Zenaide Maia (PHS).

A pesquisa Seta/BG mostrou crescimento das intenções de voto de Zenaide Maia. A deputada federal, que surgia na terceira posição em outros levantamentos, apareceu com 15% na estimulada, atrás apenas de Styvenson Valentim (Rede), que lidera com 21%. Candidato do MDB, Garibaldi Alves Filho tem 14%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 7 e 9 de setembro. Foram ouvidos 1.300 eleitores em todas a regiões do Estado. A margem de erro é de 3% e o intervalo de confiança é de 95%. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob os protocolos BR-02681/2018 e RN-07553/2018.Fonte Agora RN.

Comente

Grupo roubou mais de R$ 600 mil em um ano. Justiça já recebeu a denúncia. - 17/09/2018

Onze que assaltavam Correios no RN viram réus em denúncia do MPF

 Um total de dez assaltos a agências dos Correios. Esse é o número de ações criminosas promovidas, em apenas 12 meses, por uma quadrilha denunciada pelo Ministério Público Federal (MPF). Entre maio de 2017 e maio de 2018, Kleber Jota Barbosa, conhecido como “Cabeludo”, liderou um grupo com outras 11 pessoas – contando com dois ainda não identificados e um menor de idade – que realizaram roubos em sete cidades do Rio Grande do Norte.

Além do líder da organização, tornaram-se réus seu cunhado, Jadson Cardoso Varela; a irmã de Kleber e companheira de Jadson, Cláudia Jéssica Jota Barbosa; Nyelton Cunha do Nascimento e seu pai Nivaldo Ribeiro do Nascimento; Sebastião Ivanildo da Silva, o “Nildo Madruga”; Francisco dos Santos Moura; Francisco Adalázio Mendes, o “Socó”; e Josimar Pinheiro Pedro, o “Véio”. Desses, cinco se encontram presos: Kleber e Nildo Madruga, em Alcaçuz; Jadson, Nyelton e Francisco dos Santos, no Centro de Detenção Provisória da Zona Sul.

A atuação da quadrilha foi investigada na “Operação Xavantes”, que levantou provas da participação do grupo em assaltos a três agências de Natal (na Rua Princesa Isabel e duas vezes no Bairro Pitimbu), além das de Extremoz, Ceará-Mirim, Macaíba, Vera Cruz, Santa Maria, Parnamirim e Nova Parnamirim. Os valores roubados totalizaram R$ 626.742,27.

Os crimes foram esclarecidos a partir de depoimentos de testemunhas, análise das imagens das câmeras de segurança, provas apreendidas nas residências de alguns dos integrantes, confissões dos participantes e dados telefônicos obtidos através de autorização judicial. Os dois que ainda não foram identificados eram conhecidos pelos comparsas como “Neguinho” e “Tiozinho”. Outro não pôde ser denunciado em razão de ter apenas 17 anos, quando dos assaltos. Em relação a este, foi enviada uma cópia dos autos das investigações para a Vara da Infância e da Juventude, a fim de que sejam adotadas as providências cabíveis previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente

Organização – A quadrilha agia quase sempre com dois integrantes entrando armados nas agências, fazendo ameças a funcionários e clientes. Eles chegaram a levar armas e munições dos vigilantes e, em um dos crimes, se passaram por representantes da companhia de águas e esgotos. Já em outra ocasião, renderam a tesoureira da agência quando ela se encontrava em um veículo com o marido e a filha, que foram feitos reféns.

Kleber Jota liderava o grupo, participou de todos os assaltos e era um dos responsáveis pelo planejamento dos crimes, reunindo os comparsas e definindo como agiriam. Jadson teve participação decisiva em oito dos roubos e, embora tenha chegado a entrar nas agências, costumava ser o responsável por dirigir para o grupo e dar proteção na área externa, como “olheiro”.

Cláudia Jéssica mantinha, durante os assaltos, os criminosos em contato através de ligações telefônicas ou mensagens de redes sociais. Nyelton Cunha foi “olheiro” em metade dos roubos, enquanto seu pai Nivaldo forneceu o veículo usado em pelo menos duas oportunidades. Francisco dos Santos era o responsável pelo armazenamento, guarda e fornecimento de armas e munição.

Adalázio e Josimar Pinheiro foram responsáveis pela receptação de uma das armas roubadas dos vigilantes e esse último, que é ex-policial militar, auxiliou no assalto à agência da Princesa Isabel, intermediando a entrega das armas utilizadas. Já Nildo Madruga, concunhado de Kleber, atuou como “olheiro” em três dos crimes, ajudando ainda como motorista. Ele foi preso junto com o líder da organização, em maio, quando tentavam roubar um posto de combustíveis em Parnamirim.

 

Confira os crimes pelos quais cada um foi denunciado (a ação penal tramita sob o número 0809982-19.2018.4.05.8400):

Kleber Jota – 16 vezes por roubo (art. 157 do Código Penal); quatro vezes por corrupção de menores (art. 244-B da Lei 8.069/90) e uma por organização criminosa (Lei 12.850/2013).

Jadson Cardoso – 13 vezes por roubo; três por corrupção de menores e uma por organização.

Cláudia Jéssica – seis vezes por roubo; uma por corrupção de menores e uma por organização.

Nyelton Cunha – oito vezes por roubo; duas por corrupção de menores e uma por organização.

Nivaldo Ribeiro – quatro vezes por roubo; uma por corrupção de menores e uma por organização.

Sebastião Ivanildo “Madruga” – cinco vezes por roubo; duas por corrupção de menores e uma por organização.

Francisco dos Santos – duas vezes por roubo, uma por organização criminosa e uma por receptação (art. 180 do Código Penal).

Josimar Pinheiro – Uma vez por receptação, duas por roubo e uma por organização criminosa.

Francisco Adalázio – Receptação (em relação a ele foi proposta a suspensão condicional do processo, tendo como contrapartida o cumprimento de determinadas condições). Fonte Portal Noar.

Comente

Segurança Nacional. - 17/09/2018

Conselho Nacional de Segurança Pública vai atuar para conter violência

O presidente Michel Temer instala hoje (17) o Conselho Nacional de Segurança Pública e Defesa Social, no Ministério da Justiça. Integrarão o órgão representantes da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios que vão propor diretrizes para prevenir e conter a violência e a criminalidade.

O Conselho Nacional de Segurança Pública e Defesa Social, com atribuições, funcionamento e composição estabelecidos em regulamento, terá a participação de representantes da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, além de integrantes da sociedade civil.

O conselho está previsto na Lei 13.675, sancionada em junho, que instituiu o Sistema Único de Segurança Pública (Susp) e criou a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS). Em agosto, foi assinado o decreto para execução do plano e atuação do conselho.

O Ministério da Segurança Pública será o gestor do conselho, ao orientar e acompanhar as atividades dos órgãos integrados ao Susp, além de promover ações como apoiar programas para aparelhar e modernizar os órgãos de segurança, promover a qualificação profissional, coordenar atividades de inteligência na área e desenvolver a doutrina de inteligência policial.

Em várias ocasiões, o ministro Raul Jungmann afirmou que o conselho nacional será integrado por agentes e órgãos de segurança pública. Segundo ele, o conjunto de ações contidas no plano dará um “rumo”  à política de segurança pública do país. Fonte Agencia Nacional.

Comente

Imposto de Renda - 17/09/2018

Mais de 2,6 milhões de contribuintes recebem hoje restituição do IR

Mais de 2,6 milhões de contribuintes recebem hoje (17) o crédito referente ao quarto lote de restituições do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) de 2018. O valor total liberado é R$ 3,3 bilhões.

consulta ao quarto lote foi aberta no último dia 10. O lote também contempla restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017.

As restituições são corrigidas pela Selic (juros básicos da economia) acumulada desde o mês de entrega da declaração até setembro deste ano. A correção varia de 3,15% - para as declarações entregues em maio deste ano - até 105,27% para os contribuintes que estavam na malha fina desde 2008. Fonte Agencia Brasil.

 site Receita Federal

 Site da Receita Federal - Marcello Casal Jr./Agência Brasil

 Do valor total creditado, R$ 219,3 milhões são destinados a contribuintes com prioridade: 4.863 idosos acima de 80 anos, 36.308 entre 60 e 79 anos, 5.490 com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e 18.409 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve acessar a página da Receita na internet ou ligar para o Receitafone, número 146.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano.

Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento por meio da internet - mediante o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição - ou diretamente na página da Receita, no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá entrar em contato pessoalmente com qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento, por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Comente

Combate - 17/09/2018

Operação policial combate crimes cibernéticos em seis estados

Acesso internet celular

 A Polícia Civil do Rio de Janeiro cumpre hoje (17) 45 mandados de prisão contra acusados de integrar uma quadrilha nacional especializada em crimes cibernéticos e lavagem de dinheiro. Os mandados estão sendo cumpridos em seis estados: São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Santa Catarina e Bahia, além do Rio de Janeiro.

Os investigados foram denunciados pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Rio de Janeiro, pela prática de crimes patrimoniais, com subtração de valores das contas bancárias por meio de transações fraudulentas, além de lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Ao todo, 237 pessoas estão envolvidas no esquema fraudulento. Esta é a segunda etapa da Operação Open Doors, cuja primeira fase foi desencadeada em agosto de 2017.

Uma das fraudes aplicadas pelo grupo é o envio aleatório de e-mails e mensagens por celular a milhares de pessoas. As mensagens eram identificadas como sendo de instituições bancárias e pediam para que os clientes atualizassem suas senhas clicando em um endereço específico na internet.

Ao clicar nesses endereços, as vítimas eram direcionadas a websites com programas capazes de capturar informações de contas e senhas, que permitiam à quadrilha retirar quantias dessas contas de forma fraudulenta.

Outro golpe do grupo, que causava prejuízos ainda maiores segundo o Ministério Público (chegando a R$ 500 mil em alguns casos), era a ligação telefônica para potenciais vítimas. Os fraudadores se faziam passar por funcionários de bancos para obter dados pessoais. Entre os alvos estavam inclusive funcionários do setor financeiro de grandes empresas.

“Os integrantes da organização adotaram mecanismos para camuflar a origem ilícita do produto de seus crimes econômicos, na figura típica conhecida como lavagem de dinheiro, por meio da utilização de ‘laranjas’ na compra de terrenos, apartamentos e salas comerciais e para a ocultação de patrimônio”, diz nota do MP. Fonte Agencia Brasil.

Comente

Eleições 2018 - 17/09/2018

No Seridó, Ezequiel faz mobilizações em Lagoa Nova e Florânia

 O deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB) deu prosseguimento as visitas aos municípios da região Seridó, uma das mais importantes do Estado, na campanha à reeleição para a Assembleia Legislativa. Neste sábado (15) a visita começou por Lagoa Nova, a maior cidade da microrregião da Serra de Santana.

 

Ezequiel aproveitou o encontro para fazer uma prestação de contas dos benefícios que já estão contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da população e assumiu o compromisso de continuar desenvolvendo ações para impulsionar o desenvolvimento da região. Em Lagoa Nova Ezequiel recebe o apoio de Luciano Santos, prefeito da cidade, Iranildo Silva, vice-prefeito, Ivamar Domingos e Paulo Machado, vereadores. Participaram da mobilização o candidato a senador da República, Geraldo Melo e o candidato a deputado federal, Walter Alves.

 

“O Seridó sempre mereceu o nosso apoio. Entendemos que além de uma obrigação nossa é o reconhecimento da força de trabalho do seridoense por viver em pleno semiárido e enfrentar essa adversidade. Por isso, entre as solicitações dos agricultores que chegaram ao nosso gabinete parlamentar, conseguimos ações concretas na área de recursos hídricos, diminuindo a escassez de água na região”, frisou o deputado Ezequiel Ferreira.

 

Instalação e perfuração de poços nos distritos de Baixo Verde, Filgueira, Manoel Domingos, Macambira, nos Assentamento José Milanês; Cícero; Lagoinha, São Pedro, São José, Sítio do Meio e Umarizal; viatura policial; veículos e equipamentos para reforço das atividades da EMATER. Operação tapa buracos na RN-041 no trecho que liga à Currais Novos e ambulância.

 

Florânia - À tarde a movimentação de campanha do deputado Ezequiel ocorreu em Florânia, onde também foi recebido pelos admiradores do seu trabalho parlamentar, sempre voltado para melhorar a qualidade de vida da população aliado ao desenvolvimento sustentável da região. Foi muito bem recebido pelo presidente da Câmara, Saint Clair, o Galo, e pelo vereador Manoelzinho, além do ex-prefeito, Júnior de Janúncio. A candidata a deputada federal, Karla Veruska também participou da mobilização.

 

Em atendimento a requerimentos do deputado Ezequiel, o governo do Estado fez reparos na adutora da Serra de Santana e na de Currais/Novos/Acari. Levou o Programa Microcrédito; desenvolveu ações do DETRAN para melhorar a sinalização das ruas cidade e conseguiu carros refrigerados para os trabalhos da EMATER.

Comente

Eleições 2018 - 17/09/2018

Bolsonaro pula para 33% e Haddad dobra intenções na nova pesquisa BTG/FSB

Pesquisa de intenção de votos divulgada na madrugada desta segunda-feira (17), pelo banco BTG Pactual em parceria com o Instituto FSB Pesquisa mostra o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, consolidando sua liderança na corrida ao Palácio do Planalto. Ele aparece com 33% das intenções de voto, subindo três pontos percentuais em relação ao levantamento anterior, divulgado uma semana antes. A intenção medida é a estimulada, quando o nome dos candidatos é citado.

No segundo lugar aparece o candidato petista, Fernando Haddad, que deu o maior salto no levantamento BTG/FSB: de 8% para 16%. Haddad dobra sua participação após ter sido formalizado como candidato a presidente pelo PT, acabando com a indefinição sobre a participação do ex-presidente Lula na disputa.

Em terceiro lugar aparece Ciro Gomes (PDT), com 14%, subindo em relação aos 12% de uma semana antes. Em quarto está Geraldo Alckmin (PSDB), com 6%. Ele caiu dois pontos percentuais desde o levantamento da semana anterior. Marina Silva (Rede), recuou de 8% de intenções de votos para 5%.

João Amoêdo (Novo) tem 4%, Alvaro Dias (Podemos) tem 2%, assim como Henrique Meirelles (MDB). Os outros candidatos têm 1% ou menos.

Nesse levantamento, 9% disseram não votar em ninguém. Outros 2% apontaram nulo ou em branco e 4% não sabem. Apenas 1% não respondeu à pesquisa.

Segundo turno

No segundo turno, a pesquisa aponta que Bolsonaro e Ciro empatariam em 42%. Bolsonaro venceria Haddad por 46% a 38% nesse hipotético segundo turno. Bolsonaro também venceria Alckmin, por 43% a 36%. O candidato do PSL também venceria Marina Silva, por 48% a 33%.

Rejeição

A pesquisa BTG/FSB aponta que Marina tem a maior rejeição do eleitorado: 58%. Em segundo no quesito rejeição está Alckmin (53%). Meirelles e Haddad estão com 48%. Ciro apresenta 46% de rejeição e Bolsonaro, 45%.

Metodologia

O Instituto FSB Pesquisa entrevistou, por telefone, 2 mil eleitores com idade a partir de 16 anos, nas 27 Unidades da Federação. A margem de erro no total da amostra é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%. As entrevistas telefônicas aconteceram entre 15 e 16 de setembro.

A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-06478/2018. Com informações do Valor Econômico.


Fonte Blog do BG.

Comente

Eleições 2018 - 17/09/2018

Haddad volta à cadeia para receber instruções

 Foto: Ricardo Stuckert

Uma semana depois de ser confirmado como presidenciável do PT, Fernando Haddad exercitará sua lulodependência em nova visita ao mentor-presidiário nesta segunda-feira. O hipotético cabeça da chapa petista vai receber instruções de Lula, o cérebro de sua campanha, na cela da superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.

Nos últimos 40 dias, Haddad visitou a cela especial de Lula meia dúzia de vezes. Seu ingresso nas dependências da PF é assegurado por uma farsa. Advogado bissexto, Haddad revalidou seu registro profissional para ser incluído no rol de defensores de Lula. Nas suas visitas, cuida de política, não da defesa do preso.

Graças à complacência das autoridades judiciárias, a cela de Lula tornou-se o comitê central da campanha presidencial do PT. Mal comparando, Lula age como os líderes de facções criminosas. Condenado a 12 anos e um mês de reclusão por corrupção e lavagem de dinheiro, transformou a cadeia em escritório político.

Blog do Josias- UOL



Comente

Crime aconteceu na manhã desta segunda (17). Bandidos mandaram o pai da vítima descer do veículo e correr. - 17/09/2018

Homem tem carro interceptado e é assassinado a tiros na praia da Pipa, no RN

Por G1 RN

 Vítima foi morta dentro de um Fiat Uno. O veículo foi interceptado por um outro veículo na vila da praia da Pipa — Foto: PM/Divulgação

 Vítima foi morta dentro de um Fiat Uno. O veículo foi interceptado por um outro veículo na vila da praia da Pipa — Foto: PM/Divulgação

 Um homem foi assassinado a tiros na manhã desta segunda-feira (17) na vila da praia da Pipa, no município de Tibau do Sul, no litoral Sul potiguar. A vítima, que ainda não foi identificada, foi morta dentro de um Fiat Uno. O carro foi interceptado por outro automóvel.

Segundo a Polícia Militar, o pai da vítima também estava no carro, mas foi obrigado a descer do veículo e sair correndo. Após os disparos, os bandidos fugiram.

Vizinhos chamaram a polícia, que ainda fez buscas pela região, mas não conseguiu localizar nenhum suspeito.

Comente

Principal bandeira dos postulantes ao Executivo do RN é o aumento do número de delegacias da mulher - 17/09/2018

Candidatos ao Governo apontam ações de políticas públicas para as mulheres

 RN registrou mais de 8 mil casos de violência domestica em 2017

 O Rio Grande do Norte é o estado brasileiro com a maior proporção de feminicídios do País, segundo dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Em 2017, o Tribunal de Justiça do Estado registrou 8,4 mil casos de violência doméstica contra as mulheres. Diante desse cenário, surge a necessidade de implantação de políticas públicas voltadas para as mulheres. A maioria dos candidatos ao Governo apostam em investimentos em delegacias especializadas para solucionar o problema.

Fátima Bezerra (PT), única mulher candidata ao Governo do RN, propõe iniciativas que garantam a autonomia econômica das mulheres e o empenho no cumprimento da Lei Maria da Penha. “Nós temos o compromisso implementar uma rede de proteção à vida das mulheres, recuperar e ampliar o número de delegacias de atendimento e a construção de Casas Abrigo”, completou.

Carlos Eduardo Alves (PDT) propõe a implementação de delegacias regionais especializadas no atendimento de mulheres em cidades polos do RN, a garantia de direitos das mulheres em situação de violência e a criação de Casas Abrigo nas áreas de maior incidência da violência doméstica.

Robinson Faria (PSD) propõe o desenvolvimento de um aplicativo para denúncias e orientações e a criação de mais delegacias da mulher.
Entre as propostas de Brenno Queiroga (Solidariedade), estão a qualificação e inserção das mulheres no mercado de trabalho e o reconhecimento da violência de gênero. “Nós pretendemos criar também um protocolo de atendimento específico para casos de violência contra a mulher. Um plano transversal, que atinja todos as secretarias do estado”, completou o candidato.

Já Carlos Alberto (PSOL) aposta na educação para solucionar o problema. “O feminicídio é um problema grave que vem de uma cultura machista arraigada na sociedade. Isso só pode ser transformado, à longo prazo, através da educação. Mas agora, é necessário investir nas delegacias especializadas e na polícia feminina”, afirmou.

O candidato Heró Bezerra (PRTB) propõe a criação de um Centro de Referência da Mulher com atendimento psicológico e jurídico para dar suporte a mulheres que passaram por situação de violência e a capacitação dos profissionais envolvidos nesse atendimento. Dário Barbosa (PSTU) defende a construção de creches gratuitas e em tempo integral e a criação de uma Secretaria Estadual dos direitos das mulheres.

Freitas Jr (Rede) não apresenta propostas nesse âmbito em seu plano de governo.

Comente

Marina Silva (Rede), Jair Bolsonaro (PSL) e Alvaro Dias (Podemos) defendem a mudança - 17/09/2018

Apenas três candidatos querem fim da reeleição

Estadão Conteudo.

 

 FOTO: JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL

 Sem um candidato à reeleição neste ano, a proibição de um presidente renovar seu mandato tem pouco apoio entre os presidenciáveis. Levantamento feito pelo jornal O Estado de S Paulo mostra que, dos 13 candidatos à Presidência, apenas Marina Silva (Rede), Jair Bolsonaro (PSL) e Alvaro Dias (Podemos) defendem mudar essa regra.

Geraldo Alckmin (PSDB), João Amoêdo (Novo), Guilherme Boulos (PSOL), João Goulart Filho (PPL) e Fernando Haddad (PT) querem continuar tendo a possibilidade de serem reeleitos. Henrique Meirelles (MDB) preferiu não se posicionar e Ciro Gomes (PDT), Cabo Daciolo (Patriota), Vera Lúcia (PSTU) e Eymael (DC) não responderam à reportagem.

A defesa de uma reforma política que acabaria com a reeleição e ampliaria o mandato presidencial para cinco anos era uma das principais bandeiras do candidato do PSDB em 2014, senador Aécio Neves (MG). Naquele tempo, ele afirmava [DO CANDIDATO]que a reeleição “fez mal ao Brasil”[/DO CANDIDATO]. Na época, Alckmin foi um dos que pressionou Aécio a se comprometer com o fim da reeleição já em 2018. O nome de Alckmin já era considerado dentro do partido como um dos que poderia disputar o Planalto neste ano.

Agora, porém, o tucano afirma que um segundo mandato “é um direito [DO CANDIDATO]e uma escolha do cidadão”. A possibilidade de reeleição foi aprovada em 1997, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Marina Silva, que também disputou aquele pleito, já defendia o fim da reeleição. Para ela, que tenta chegar ao Palácio do Planalto pela terceira vez, o período de quatro anos “já é uma dose de doação relevante e suficiente”. Se eleita, Marina diz que não vai disputar outra vez.

A candidata propõe ainda que os mandatos sejam ampliados para cinco anos, sem que o presidente possa tentar uma segunda vez. Para o Legislativo, Marina também defende a ampliação do mandato pelo mesmo período e admite a possibilidade de apenas uma reeleição. De acordo com a proposta dela as mudanças valeriam a partir de 2022.

Cinco anos

Na mesma toada, Alvaro Dias também quer promover uma reforma política para, dentre outras coisas, ampliar o mandato presidencial para cinco anos e extinguir a reeleição. De acordo com sua assessoria, o senador não tentará se reeleger caso vença

Em entrevista à revista americana Time, Bolsonaro afirmou que considera, se eleito, apresentar uma reforma política para limitar a um mandato o período de um mesmo presidente no Palácio do Planalto, começando por ele mesmo. Procurada, sua campanha não deu mais detalhes sobre a proposta.

Para João Amoêdo, a possibilidade de reeleição é algo que acontece em dezenas de democracias modernas pelo mundo. Já Guilherme Boulos afirmou não ser contra a mudança, mas defendeu que o País promova uma ampla reforma em todo o sistema político e eleitoral.

Henrique Meirelles preferiu não se posicionar. Em nota via assessoria afirmou apenas que mudanças neste sentido cabem ao Legislativo. “O que os brasileiros querem mesmo, independentemente da duração dos mandatos, é um novo jeito de fazer política”, disse.

Para o cientista político e professor do Insper Carlos Melo, a reeleição em si não é ruim, mas ela deveria ser limitada a apenas uma. Melo afirma que, uma vez que o político já ocupou a Presidência por dois mandatos, ele não deveria poder tentar um terceiro. “A possibilidade de voltar tende à perpetuação do poder”, afirmou o cientista político.

Melo também é cético em relação às promessas de quem quer acabar com o expediente antes mesmo de ter sido eleito. “É muito inconsistente no tempo esse tipo de promessa, é demagogia eleitoral. Se o Congresso não aprovar a mudança, o direito à reeleição continua valendo e o sujeito vai, docemente, ser convencido a tentar o segundo mandato”, disse. Para ele, a discussão só caberia em um amplo e profundo debate que abarcasse todo o sistema político.

Mudança barrada

No ano passado, o Congresso tentou aprovar uma mudança nas regras eleitorais para acabar com a reeleição. A Câmara dos Deputados instalou uma comissão especial para analisar o tema, mas a proposta acabou derrubada. Em 2015, a mesma proposta havia sido analisada na Casa. O fim da reeleição seria acompanhado pela adoção do chamado Distritão, com a eleição dos deputados mais votados em cada Estado. Nenhuma das medidas foi aprovada. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comente

Número em 2018 é mais de 12 vezes maior do que o registrado em 1994 - 17/09/2018

Nome militar nas urnas cresce 39% nas eleições

Fonte Estadão Conteudo.

 

 Além de Cabo Daciolo e General Mourão, outros 533 candidatos optaram por incluir suas patentes ou graduações militares no nome de urna para as eleições deste ano, sejam das Forças Armadas, das Polícias ou de Bombeiros Militares. O número é mais de 12 vezes maior do que o registrado em 1994, quando 43 postulantes apostaram na militarização de nomes para atrair votos. Em relação a 2014, o aumento total é de 39%.

A esmagadora maioria é de deputados estaduais, com 313 postulantes Brasil afora. Levantados pelo jornal O Estado de S. Paulo com base em informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os números de 2018 também chamam atenção para outro fator: a influência de Jair Bolsonaro. O atual partido do presidenciável, o PSL, é de longe o que tem mais candidatos com graduações e patentes militares nas urnas: 135, contra apenas 37 do segundo colocado, o Patriota, de Cabo Daciolo.

Bolsonaro, porém, não é um dos que optam por colocar o cargo no nome político, apesar de as ideias militares serem um mote importante da campanha. “É a onda Bolsonaro, nosso líder maior. Foi o que mais chamou atenção para atrair candidatos militares”, afirmou o deputado federal Major Olímpio (PSL-SP), um dos seis militares que concorrem ao Senado.

Para o cientista político Eduardo Grin, da FGV-SP, o fenômeno Bolsonaro não é só causa, mas também consequência de outra onda: a conservadora. “Fortalece candidatos associados a essas agendas. E a sociedade acaba entendendo a segurança não como tema de prevenção, mas de punição. É uma construção no imaginário do eleitor.”

Candidato pela primeira vez em 2004, quando ainda era capitão, Olímpio vê a segurança como tema central de campanha. E quem mais entende do assunto, diz, são os profissionais da área. Em relação às diferenças de se declarar militar hoje e há 14 anos, o deputado acredita que a maior barreira eram as próprias corporações militares. “Parecia que estava cometendo uma infração grave, quase um crime, dizer que ia para a política.”

O cientista político Eduardo Frin apontou que há uma tendência grande de associar autoridade, disciplina e ordem como algo contrário à corrupção, tema presente na atual agenda política brasileira. Com isso, cria-se uma ideia de que, se a política não resolve, alguém com “mão firme” pode resolver. É também nessa linha que Jacqueline Muniz, professora do Departamento de Segurança Pública da Universidade Federal Fluminense (UFF), critica a “falsa promessa de que é preciso um chefe de disciplina para pôr ordem na casa”. “Confunde-se capacidade de governo e de gestão política da máquina pública com comando militar.”

Dois partidos de esquerda são os que têm menos militares candidatos em 2018: PSOL e PCB, com um postulante cada. Candidato a deputado federal pelo PCB de Minas, Pedro Henrique Franco, o Cabo Franco, de 30 anos, disse que a reação à sua candidatura foi de resistência por uma boa parcela dos policiais. “Principalmente os que se filiam ao Bolsonaro”, afirmou. “Mas existem policiais progressistas.”

Comente

Mandados estão sendo cumpridos em Natal, Espírito Santo, Ipanguaçu e Pedro Velho - 17/09/2018

Operação investiga desvio de R$ 2,4 milhões em órgão público

 O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou nesta segunda-feira (17) a operação Canastra Real. O objetivo é apurar o desvio de pelo menos R$ 2.440.335,47 em um esquema envolvendo servidores fantasmas.

A operação conta com o apoio da Polícia Militar. Participam da ação 28 promotores de Justiça, 26 servidores do MPRN e 70 policiais militares. Os mandados estão sendo cumpridos nas cidades de Natal, Espírito Santo, Ipanguaçu e Pedro Velho.

O MPRN condicionou a divulgação do órgão público ao cumprimento de todos os mandados. Fonte Portal Noar.

Comente

Feira Multissetorial do Mato Grande 2018 - 16/09/2018

João Câmara: Feira Multissetorial do Mato Grande 2018 teve a total cobertura da FM 89.3 nos três Dias do Evento

A Feira Multissetorial do Mato Grande 2018 teve mais de dez mil pessoas por Noite no Evento quer contou com a total cobertura da FM 89 de João Câmara/RN e do Blog A língua Notícias nos três Dias de Evento a onde teve a visita de toda População da Região do Mato Grande e demais Regiões de todo Estado do RN.

 

 

Blogueiro Gaspar Bandeira do Blog A língua e a Equipe da FM 89 na Feira Multissetorial do Mato Grande 2018 na Mídia para todo Estado e Pais. 

 

Equipe da FM 89

 

 

Blogueiro Gaspar Bandeira do Blog A língua e a Equipe da FM 89 de João Câmara/RN. Fazendo a total cobertura da Feira Multissetorial do Mato Grande 2018


 

Comente

Eleições 2018 - 16/09/2018

‘Parte do eleitorado está votando em Bolsonaro para tirar o PT’, diz Alckmin

 Foto: Ciete Silvério

 O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, fez novo apelo, neste domingo, a favor da estratégia do voto útil já no primeiro turno da eleição deste ano. Segundo ele, existem eleitores que estão com Bolsonaro neste momento para tirar o PT do governo, mas a estratégia pode se mostrar errada.

“O que temos visto é que tem uma parte do eleitorado que está votando no Bolsonaro para derrotar o PT. Mas pode ser o inverso, pode ser um passaporte para a volta do PT. Porque no segundo turno, o Bolsonaro perde para todo mundo. Acho que isso vai ficar claro ao longo desses últimos 20 dias.”

Alckmin cumpriu agenda de campanha na manhã deste domingo, no bairro do Campo Limpo, na periferia da zona Oeste da capital paulista. O tucano fez uma caminhada por uma avenida do bairro na companhia de Fernando Fernandes (PSDB), prefeito Taboão da Serra, cidade que faz divisa com o bairro. Cumprimentou lojistas e parou para comer um pastel de queijo e tomar caldo de cana na feira local.

O tucano, que tem tido dificuldade em crescer nas pesquisas mesmo com o maior tempo de TV entre todos os candidatos, também foi questionado sobre se pretende elevar o tom contra o candidato do PT, Fernando Haddad, que tem subido rapidamente nas pesquisas de opinião desde que substituiu o ex-presidente Lula na chapa do partido. “O que temos dito é que não é na bala nem com radicalismos da esquerda ou direita que vamos fazer a economia voltar a crescer”, despistou. Fonte Blog do BG.

Comente

Economista Sandra Barbosa destaca fatores externos, como a alta dos juros nos Estados Unidos, e os internos, como a insegurança eleitoral em momento turbulento - 16/09/2018

Dólar alto pode gerar mais elevações de preços nos combustíveis e gás

 Preços atrelados ao dólar - como combustíveis e gás de cozinha - correm o risco de elevações

 A alta do dólar, que atingiu o patamar de R$ 4,20, pode provocar elevações de custos em produtos que mexem com o bolso dos mais pobres aos mais ricos: os combustíveis e o gás de cozinha. Os dois produtos estão com preços atrelados ao dólar, que já valorizou 26% este ano e, por enquanto, aponta para um viés de alta.

Sandra Barbosa, do Núcleo de Estudos Econômicos da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), explica que o aumento da taxa de juros nos Estados Unidos proporcionou o direcionamento de muitos investimentos para lá, deixando países emergentes – como o Brasil – em uma posição desfavorável, mesmo a taxa de juros básica do Brasil sendo de 6,25% ao ano, ou seja, três vezes maior que a americana. Há outros países, como a Turquia e a Argentina, em que a situação é pior, por não ter reservas cambiais, o que o Brasil tem de sobra.

Para Sandra Barbosa, uma maior valorização do dólar tenderá – em princípio – favorecer o setor exportador de maneira geral. No entanto, ela lembra que muitas empresas exportadoras já têm contratos com o dólar pré-fixado, justamente para não sofrer tanto com instabilidades mercadológicas, tanto com dólar alto, quanto com o dólar baixo. Na avaliação da economista, como o Brasil importa a maior parte do petróleo e gás consome, os maiores riscos são de novos aumentos sobre estes produtos.

Apesar dos fatores externos influenciarem no cenário de incerteza, as questões internas desencadeadas pelo processo eleitoral também podem causar estragos econômicos, principalmente enquanto houver uma insegurança eleitoral. “Infelizmente, decisões de aplicações de recursos mais vultosos serão postergadas e o modelo adotado para o estabelecimento dos preços contribuem para um cenário de incertezas. Por outro lado, setores como o de turismo internacional, podem ser beneficiados. Os juros nos Estados continuarão a aumentar e na Europa acontecerá o mesmo”, disse Sandra Barbosa. Fonte Agora RN.

Comente

Eleições 2018 - 16/09/2018

Candidato a Deputado Estadual Coronel Fernandes 35190 é recebido pela População em Pajuçara na Zona Norte de Natal

Pela manhã recebemos o abraço da população do Pajuçara, em Natal. Conversa entre amigos que desejam a mudança e almejam a cadeira da segurança pública na Assembleia Legislativa. Vamos mudar de vez e votar no 35190 para deputado estadual. #CoronelFernandes35190 #ForcaEHonra

 A imagem pode conter: 8 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

 A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, atividades ao ar livre

 A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

 A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Comente

Candidato "prossegue com boa evolução clínica, sem febre e exames laboratoriais estáveis" - 16/09/2018

Bolsonaro recebe alta da UTI e vai para unidade semi-intensiva, diz Einstein

 O candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, internado no Hospital Israelita Albert Einstein após ser atacado há pouco mais de uma semana por uma facada em campanha eleitoral, recebeu neste domingo, 16, alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), segundo informações do mais recente boletim da equipe médica que vem cuidando do presidenciável do PSL.

Segundo o parecer, Bolsonaro, que teve de fazer uma segunda cirurgia na última quarta-feira, passa agora para uma unidade de cuidados semi-intensivos.

No boletim, assinado pelos médicos Antônio Luiz Macedo, Leandro Echenique e Miguel Cendoroglo, diz que o candidato “prossegue com boa evolução clínica, sem febre e exames laboratoriais estáveis, recebendo nutrição por via parenteral (endovenosa) exclusiva, medidas de prevenção de trombose venosa e fisioterapia respiratória e motora”. Conteudo Estadão.

Comente

Intenção era utilizar as mídias na propaganda eleitoral no rádio e na televisão - 16/09/2018

TSE nega novo pedido de Lula para gravar propaganda eleitoral da prisão

 O ministro Sérgio Banhos, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou nesse sábado, 15, pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que declarasse o direito do petista gravar áudios e vídeos de dentro da prisão. A intenção era utilizar as mídias na propaganda eleitoral no rádio e na televisão.

Ao negar dar andamento ao pedido, Banhos argumenta que não é competência da Justiça Eleitoral decidir sobre a produção do material por Lula, uma vez que este assunto deve ser tratado pelo juízo responsável pela execução da pena do petista. O ex-presidente está preso na sede da PF em Curitiba após ser condenado em segunda instância pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

“O que pretendem os requerentes escapa à competência da Justiça Eleitoral, que estaria se imiscuindo em assunto de competência do Juízo da Execução, responsável pela administração de todas as questões pertinentes ao cumprimento pena”, afirma Banhos em sua decisão.

Em julho, a juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução da pena de Lula já havia negado a autorização para gravações de dentro da prisão.

Segundo o advogado Eugênio Aragão, que defende o ex-presidente no âmbito eleitoral, o pedido não era para que o TSE autorizasse, mas que declarasse que Lula tem o direito de gravar vídeos e áudios de sua cela, em Curitiba. Com essa autorização, a defesa iria fazer um novo requerimento à juíza de execução penal.

Para Banhos, porém, apesar de reconhecer o direito à liberdade de expressão, a questão não deve ser analisada pela Justiça Eleitoral.

“Não se desconhece o direito constitucional da Coligação requerente de participar do horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão nas Eleições de 2018, na forma da lei (art. 17, § 3º, incisos I e II, da CF), o que não lhe foi negado por esta Justiça Eleitoral. Tampouco se ignora a garantia constitucional à liberdade de expressão do segundo requerente (art. 5º, inciso IV, da CF). Ocorre que o Ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva está sujeito à segregação imposta pela Justiça Comum (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), a partir de entendimento firmado, por maioria, no âmbito do Supremo Tribunal Federal”, diz o despacho do ministro.Conteudo Estadão.

Comente